Crítica- Um homem chamado Ove (2016)

Deixe-me morrer em paz Velho ranzinza e rabugento (Rolf Lassgård) administra um condomínio de forma pragmática, sem paciência para conviver com os condôminos, sobretudo após a morte da esposa (Ida Engvoll), o único… Continuar lendo