Arquivo da Categoria: Filmes até 2020

Critica – Bingo : O Rei das Manhãs (2016)

O lado negro do palhaço Bozo    Interpretar o maior palhaço da TV nos anos 80 significava para Arlindo Barreto(Vladimir Brichta) estar de bom humor 12 horas por dia revezando com outros 2… Continuar lendo

Crítica – O Castelo de Vidro (2017)

Parentes Difíceis   Lidados por Jeannette desde os 10 anos de idade (Brie Larson,Ella Anderson e Chandler Head) cinco irmãos fazem um pacto de união tentando se sustentar sozinho enquanto convivem com Rex(Woody… Continuar lendo

Crítica – A Torre Negra (2017)

De boas ideias  o inferno está cheio   O endeusado vilão intitulado Homem de Preto (Matthew McConaughey) executa seu plano sem estratégia definida, não manipula tampouco chantageia os adversários confiando excessivamente no próprio… Continuar lendo

Crítica – Na Mira do Atirador (2017)

Rambo mudou de lado  Durante a Guerra do Iraque os despreparados soldados americanos Isaac (Aaron Taylor-Johnson) e Matthews (John Cena) acabam ficando encurralados no deserto na mira exímio atirador iraquiano fã de Edgar Allan Poe.… Continuar lendo

Crítica – Lady Macbeth (2016)

A vingança transforma a vítima em réu   Adaptado do conto Lady Macbeth do Distrito de Mtzensk, do escritor russo Nikolai Leskov, o longa apresenta uma protagonista com nome e comportamento idênticos ao… Continuar lendo

Crítica – Afterimage (2016)

Adeus ao rebelde por trás da Cortina de Ferro   Um dos poucos cineastas a criticar duramente os regimes comunistas nos deixou ano passado, aos 90 anos. Desde o nascimento, Andrzej Wajda aspirou… Continuar lendo

Crítica – João, o Maestro (2017)

O céu é o limite   Depois de levar às telonas a conturbada vida de Tim Maia, o diretor Mauro Lima realiza outro grande trabalho biográfico, no nível dos premiados Whiplash e Brilhante,… Continuar lendo

Crítica – Valerian e a Cidade dos Mil Planetas (2017)

Os mil planetas e as infinitas dimensões Os quatro filmes mais importantes de Luc Besson, que esteve em São Paulo no dia 2 de agosto, trazem uma mensagem espiritualista ao público, priorizando a bondade… Continuar lendo

Crítica – O Estranho que Nós Amamos (2017)

Santas pecadoras   Corajosa e polêmica, a competente diretora Sofia Coppola contraria as feministas radicais nesse remake, ao inverter a perspectiva do longa original de 1971, que tinha como protagonista um combatente ferido… Continuar lendo

Crítica – O Reino Gelado: Fogo e Gelo (2016)

A vida imita a arte   O fim desta bela trilogia russa de animação começa com o casal de irmãos Kai e Gerda, idolatrados pelos trolls por terem derrotado a Rainha da Neve… Continuar lendo