Críticas – Convenção das Bruxas (2020), Jovens Bruxas (2020), As Bruxas de Eastwick (1987), Enquanto Estivermos Juntos (2020).

As bruxas no cinema e na vida real

Estreou nos cinemas nesta quinta feira (19) o remake do clássico da Sessão da Tarde estrelado por Anjelica Huston, Convenção das Bruxas (1990). A versão moderna é mais realista, porém menos fantasiosa e assustadora que a anterior, mas usa muito bem os recursos tecnológicos disponíveis, corrigindo algumas falhas do roteiro original com mais ação e suspense. Dirigido por Robert Zemeckis (De Volta Para o Futuro, Uma Cilada Para Roger Rabbit), protagonizado por Anne Hathaway e a meiga, Octavia Spencer, uma alegre dona de casa com dificuldades financeiras para criar o neto órfão (Jahzir Bruno) em 1968, no auge no racismo americano, um exemplo de que é possível frequentar a alta sociedade burguesa e ainda ter sucesso através de bons contatos, inteligência emocional e muita criatividade, deixando o vitimismo de lado, principalmente. O ponto negativo foi o desperdício do grande ator Stanley Tucci, comparado à atuação hilária de Rowan Atkinson, o Mr Bean, antes da fama. Ainda tem a estreia gospel do ano: Enquanto Estivermos Juntos (2020), sobre a dramática trajetória do aclamado músico Jeremy Camp (com participação de Shania Twain) e o novo filme catástrofe de Gerard Butler: Destruição Final – O Último Refúgio (2020). Apesar da mediunidade habitar em todos nós com maior ou menor ostensividade desde a aurora dos tempos, as bruxas só ganharam esse estereótipo negativo na Idade Média, ao levar luz aos que necessitam através das sombras. A exemplo dos alquimistas, as bondosas feiticeiras incompreendidas manipulam elementos da natureza descortinando os mistérios deturpados pelas religiões humanas. Para obstruí-las de qualquer forma a Igreja que na época dominava um terço da Europa conhecida, matou quase todos os seus companheiros sagrados, os gatos. Ocorre que o tiro saiu pela culatra e dois terços da humanidade acabou morrendo infectada pela Peste Bubônica. O Mágico de Oz (1939) introduziu pela primeira vez no cinema a popular bruxa boa e bonita do norte enquanto Elvira, a Rainha das Trevas (1988) foi uma das mais sensuais e A Bruxa de Blair (1999) a mais enigmática porque ninguém sabe se ela realmente existiu.

Em 1987, houveram as belas e famosas Bruxas de Eastwick, interpretadas por Michelle Pfeiffer, Susan Sarandon e a cantora de voz grave contralto, Cher, contra o forasteiro galanteador metido à cupido, Daryl Van Horne (Jack Nicholson) que as flechou através de vodu por estarem na mesma sintonia dele. Nesse sentido, As Jovens Bruxas (1996) retrataram a essência desses rituais ocultistas cujo pentagrama está sempre voltado para baixo (matéria) ao invés do Céu, o Mundo das Ideias; o típico espírito de vingança manifestado à base de macumba contra as bulinadoras colegas de classe além dos amores incompreendidos das bruxinhas. No entanto, o clássico estrelado por Neve Campbell, a mesma da franquia Pânico, mostrou que a magia branca unida à mediunidade pura e ostensiva que canaliza o éter sagrado, venceu a magia negra dos viciados Espíritos Trevosos que vampirizam o fluido vital de pessoas e animais, cobrando o triplo pelo serviço maldoso. Já a versão moderninha e infantilizada: Jovens Bruxas – Nova Irmandade, disfarçada de continuação (em cartaz nos cinemas), estrelada por Michelle Monaghan e David Duchovny, de Arquivo X, se perde na pirotecnia exagerada e não captura a essência do original, mas manifesta o quinto elemento etéreo de maneira brilhante, quase despercebido, agregado aos 4 elementos primordiais da natureza: Água, Terra, Fogo e Ar, que cada bruxinha canalizou. 

Convenção das Bruxas (The Witches, EUA – 2020)

Direção: Robert Zemeckis
Roteiro: Robert Zemeckis, Kenya Barris, Guillermo del Toro, Roald Dahl (livro)
Elenco: Chris Rock, Jahzir Bruno, Octavia Spencer, Anne Hathaway, Stanley Tucci, Brian Bovell, Miranda Sarfo Peprah, Orla O’Rourke
Gênero: Aventura, Comédia, Família
Duração: 106 min.

Convenção das Bruxas (The Witches) — Reino Unido, EUA, 1990
Direção: Nicolas Roeg
Roteiro: Allan Scott (baseado no livro de Roald Dahl)
Elenco: Anjelica Huston, Mai Zetterling, Jasen Fisher, Rowan Atkinson, Bill Paterson, Brenda Blethyn, Charlie Potter,  Anne Lambton, Jane Horrocks, Sukie Smith, Rose English, Jenny Runacre, Annabel Brooks, Emma Relph, Nora Connolly
Duração: 91 min.

Jovens Bruxas (The Craft – EUA, 1996)

Direção: Andrew Fleming
Roteiro: Andrew Fleming, Peter Filardi
Elenco: Robin Tunney, Fairuza Balk, Neve Campbell, Rachel True, Skeet Ulrich, Christine Taylor, Breckin Meyer
Gênero: Drama, Fantasia, Horror
Duração: 101 min.

JOVENS BRUXAS: NOVA IRMANDADE

  • Direção Zoe Lister-Jones
  • Título original The Craft: Legacy
  • Gênero: DramaFantasiaHorror/Terror
  • Ano:2020
  • País de origem:EUA / Canadá,

14 ANOS 

98 minutos

Enquanto Estivermos Juntos (I Still Believe) 2020, EUA, 118 min. Dir; Andrew Erwin, Jon Erwin. Rot: Jon Erwin, Jon Gunn. Elenco: K.J. Apa, Britt Robertson, Nathan Parsons. Distribuição: Paris Filmes.

As Bruxas De Eastwick
NOME ORIGINAL: The Witches of EastwickPAÍS DE ORIGEM: EUA ANO: 1987 DURAÇÃO: 118 minutos GÊNERO: Comédia, Fantasia, Horror DIREÇÃO:ELENCO: Jack NicholsonCherSusan SarandonMichelle Pfeiffer, Veronica Cartwright, Richard Jenkins, Keith Jochim, Carel Struycken, Helen Lloyd Breed, Caroline Struzik, Michele Sincavage, Heather Coleman, Carolyn Ditmars, Cynthia Ditmars

Bruxa – Silvio Matos

Magias e Seus Tipos – Ricardo Minarro
Mais de 30 Fatos Que Mostram Como os Gatos São Melhores Que os Seres Humanos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s