Crítica – Lost Girls –  Os Crimes em Long Island (2020)

lost girls

Mãe detetive em busca da filha desaparecida 

 Mari Gilbert (Amy Ryan) e as filhas Sherre (Thomasin McKenzie, de Jojo Rabbit) e Sarra (Oona Laurence) saem desesperadas na busca implacável da outra filha desaparecida, Shannan, e acabam conectando-a a possíveis assassinatos de inúmeras prostitutas. Baseado no livro de Robert Kolker “Lost Girls – An Unsolved American Mystery”, a diretora Liz Garbus trouxe à plataforma da Netflix uma grave denúncia envolvendo um serial killer impune, graças àa incompetência dos investigadores policiais, liderados por Richard Dormer (Gabriel Byrne). A trama verbalizada de Lost Girls -–  Os Crimes em Long Island complementa as poucas imagens documentais verídicas por atores. Atitude válida que peca pelo excesso de intensos diálogos picados com pouca produtividade. O enredo objetivo e pouco imaginativo opta por um caminho único. Para a sétima arte o ideal seria uma reconstituição lógica e didática do caso.  

Lost Girls –  Os Crimes em Long Island. Direção: Liz Garbus. Drama. (Lost Girls, EUA – 2020, 95 min). 14 anos.Nota:  2,0.

Nota - 02

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s