OBEDIÊNCIA E RESIGNAÇÃO

Sentido da Luz

Jesus ensina, em toda parte, a obediência e a resignação, duas virtudes companheiras da doçura, e muito ativas, embora os homens as confundam erradamente com a negação do sentimento e da vontade.

A obediência é o consentimento da razão, uma vez que a reflexão – apoiada no desenvolvimento do senso moral – nos impele a refrear os impulsos do orgulho-ferido e dos desejos inferiores, pelo cumprimento da vontade de Deus.

856A resignação é o consentimento do coração, que, educado pela razão, passa a sentir os benefícios produzidos pelo enfrentamento de si mesmo na resistência às fraquezas dos sentidos e do orgulho reativo.

Ambas – a obediência e resignação – são forças ativas porque carregam o fardo das provas que a revolta insensata deixa cair. O frouxo não pode ser resignado; como um parafuso espanado, ele “estoura” em sentimentos de agressividade à menor pressão de contrariedade.

O orgulhoso e o egoísta…

Ver o post original 104 mais palavras

Anúncios