Crítica – Os Pobres Diabos (2013)

21021083_2013071817441517.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

“Oh vida, oh céus, oh azar…”

  O Gran Circo Teatro Americano perambula por pequenas cidades dos sertões até chegar a Aracati, onde monta uma peça teatral. No cotidiano do circo, os personagens vivem aventuras ao modo picaresco dos anti-heróis do romanceiro popular. À exceção do Cirque du Soleil, de grandiosas apresentações fixas em luxuosas casas de espetáculo ao redor do mundo,
a essência do circo é essa realidade nômade, nua e crua de trabalho árduo sem lucro, por amor à profissão. O problema é a temática pessimista aqui apresentada, fazendo apologia à pobreza e aos partidos políticos de esquerda no Brasil, com números repetitivos e piadas bobas que justificam a falta de interesse do público doméstico. Um bom espetáculo circense exige expressão corporal, talento e muita criatividade, podendo ser realizado até mesmo ao ar livre, como nos divertidos longas O Palhaço, de Selton Mello, e Chocolate, com Omar Sy  Nota :2,0.

Nota - 02

 

Anúncios