Crítica – A Mulher do Pai (2016)

570126.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Terra Brasilis

  Em uma singela aldeia na divisa do Brasil com o Uruguai – cujos habitantes vivem da pecuária e não têm internet para se distrair –, a orgulhosa adolescente Nalu (Maria Galant) precisa cuidar do pai cego (mas não ingênuo) após a morte da avó que os criou como irmãos. Quando Ruben (Marat Descartes) percebe o amadurecimento da filha, uma desconcertante intimidade surge entre eles. Mas, com a chegada da professora Rosário, o ciúme ganhará espaço em suas vidas.  Nota :3,5. 

Nota - 3,5

 

Anúncios