Boi Neon

Sétima Arte e Algo Mais

neon-bull-2222220160121165650994543eBoi Neon (2016) me fez repensar Doméstica. O documentário em que Gabriel Mascaro entregou a câmera para os filhos dos patrões e os deixou “à vontade” para filmar suas relações com as empregadas domésticas de suas famílias, embora mantenha em mim um olhar simpático ao procedimento, admitamos, é menos um pulo do gato sagaz e mais uma esperteza, um truque falacioso do diretor: a câmera está nas mãos dos jovens, mas a edição final é dele. O momento de cortar a cena é uma decisão que traduz a posição política do filme ainda na decupagem e, assim, é também apenas o reforçar dessa posição a priori: Doméstica, no máximo, faz uma volta sobre sua própria visão de mundo – parte de um lugar e retorna a ele, não desconstrói, não problematiza, não reposiciona nada.

Aqui, Mascaro nem sai de algum ponto, nem vai para ponto algum, ele apenas flui por uma sucessão de…

Ver o post original 404 mais palavras

Anúncios