Crítica – Personal Shopper (2016)

176802-jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

O Espiritismo Brasileiro chegou  á Hollywood

Kristen Stewart reencontrou seu espaço nos filmes cults a partir de Acima das Nuvens, do mesmo diretor Olivier Assayas, quando foi premiada com o César. Dessa vez ela interpreta uma médium descrente que sente com frequência a presença do irmão gêmeo desencarnado, motivando-a pesquisar as origens da doutrina espírita pelas irmãs Fox e o famoso escritor francês Victor Hugo, de Os Miseráveis, através das mesas girantes na década de 1840, antes do codificador Allan Kardec. Maureen, que mora em Paris e trabalha como personal shopper para uma celebridade, passa a receber mensagens de texto desconhecidas enquanto viaja de trem pela Europa. Uma bela e fiel introdução do espiritismo aos hollywoodianos, prejudicada pelo final ambíguo, comodista e sem ousadia alguma.. Personal Shopper.(Alemanha, 2016), de Olivier Assayas. Suspense. 110 min.14 anos. Nota :2,5. 

Nota - 2,5

 

Anúncios