Crítica- Jackie (2016)

00283378_000001

Face a face  com  Miss Kennedy

Cinebiografia indicada ao Oscar de Melhor Figurino e Melhor Trilha Sonora sobre a ex-primeira-dama mais famosa do planeta, Jacqueline Kennedy, muito bem interpretada por Natalie Portman, indicada ao prêmio de Melhor Atriz. Para reviver Jacqueline, Portman se inspirou no documentário A Tour of the White House with Mrs. John F. Kennedy (1962), de onde copiou todos os trejeitos da ex-primeira dama, incluindo sua elegância e seu sotaque peculiar. As referências ao ex-presidente Abraham Lincoln também foram retiradas de lá. Com bela fotografia, Jackie é um longa objetivo que conta os bastidores da morte do ex-presidente John F. Kennedy, membro de uma família marcada por tragédias. Na maior
parte do tempo, a senhora Kennedy aparece em estado de choque e um tanto desorientada ao lado dos filhos, mas administra bem a Casa Branca na semana do funeral do marido, dando um exemplo inesquecível ao mundo. Temos ainda a participação de Greta Gerwig, quase irreconhecível na tela.Jackie .EUA, 2016, de Pablo Larraín(Neruda).Drama.100 min.14 anos.  Nota :3,5. 

Nota - 3,5

Anúncios