REFLEXÕES SOBRE O CONCEITO DE FELICIDADE PARA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA

“O sucesso contínuo na obtenção daquelas coisas que de tempos a tempos os homens desejam, quer dizer, o prosperar constante, é aquilo a que os homens chamam felicidade; refiro-me à felicidade nesta vida. Pois não existe uma perpétua tranqüilidade de espírito, enquanto aqui vivemos, porque a própria vida não passa de movimento, e jamais pode deixar de haver desejo, ou medo, tal como não pode deixar de haver sensação. Que espécie de felicidade Deus reservou àqueles que devotamente o veneram, é coisa que ninguém saberá antes de gozá-la. Pois são alegrias que agora são tão incompreensíveis quanto a expressão visão beatífica, usada pelos Escolásticos, é ininteligível”. THOMAS HOBBES –  LEVIATÃ ou MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL

jcssfilosofia

REFLEXÕES SOBRE O CONCEITO DE FELICIDADE PARA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA

Gisele Leite

O tema felicidade surge frequentemente em vários lugares e setores do conhecimento humano e, por ser tão recorrente chega a ser banal. Mas a análise filosófica e histórica do conceito de felicidade só reforça sua importância e não apenas para o homem contemporâneo.

 e2998e837ed1b2991ee2aa8bded70101

A verdade é que todos os homens procuram ser felizes, mas por isso mesmo se tornou a felicidade uma temática capciosa e particularmente complexa.

Seu significado é densamente variante conforme os diferentes períodos históricos estudados também se percebem que os meios para se alcançá-la mudaram muito.

Basta repararmos no retrato da felicidade observando a prática de sorrir para fotografias e imagens pictóricas. E, nesse sentido, o enigmático sorriso da Mona Lisa[1] de Leonardo Da Vinci[2] representou um marco revolucionário. O que contrasta profundamente com os largos sorrisos flagrados pelas lentes da atualidade.

Mas…

Ver o post original 29.177 mais palavras

Anúncios