Animais Noturnos

Juliana Varella

Demorei semanas para escrever sobre “Animais Noturnos”. Sabia que o filme – o segundo de Tom Ford, estilista e agora diretor – tinha provocado certos sentimentos, tinha enchido os olhos e apunhalado o coração com suas histórias trágicas e atuações intensas. Mas não conseguia definir qual era, realmente, a mensagem, até algumas noites atrás, quando acordei no meio do sono com a resposta: “Animais Noturnos” é um filme sobre representações. Seu objeto não é o amor, nem a vingança: é a arte.

animais

O longa, inspirado no romance “Tony e Susan”, de Austin Wright, conta a história de Susan (Amy Adams), uma mulher bem-sucedida e elegante, dona de uma galeria de arte e um casamento falido. Um dia, ela recebe de seu ex-marido (um caso quase secreto, da juventude) um manuscrito de seu novo livro, dedicado a ela. O título é “Animais Noturnos”, apelido que ele lhe dera…

Ver o post original 324 mais palavras

Anúncios