Crítica – Anjos da Noite – Guerras de Sangue (2016)

285039.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx.jpg

Vampiros imortais fazem projeção astral

O quinto capítulo da eterna batalha entre vampiros e lobisomens (Lycans) não acrescenta muita coisa além de uma divertida briga em lindos e adequados cenários.Selene (Kate Beckinsale) continua vagando pelo submundo atrás da filha e do namorado Michael, desaparecido,enquanto traidores se infiltram nos dois clãs. O que torna interessante a já desgastada franquia é um grupo de vampiros videntes em um castelo escondido na Escandinávia, cuja habilidade é alterar a densidade do próprio corpo e se desmaterializar em alta velocidade, além de projetar a consciência para fora do corpo em experiências de quase morte.Anjos da Noite – Guerras de Sangue.(Underworld – Blood wars, EUA, 2016) de Anna Foerster.Fantasia com Theo James.91 min. Nota :2,5. 

Nota - 2,5