Crítica – Jack Reacher – Sem Retorno (2016)

590985-jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Tom Cruise, parte pra outra !

Desde o início da franquia Missão Impossível, de Brian de Palma, há 20 anos, Tom Cruise quase não variou sua forma de atuar, protagonizando sempre o mesmo super-humano à la Jason Born. Neste último trabalho, fica evidente o desgaste do personagem, já inexpressivo e com diálogos óbvios e cansativos. A ação é lenta e se perde no drama familiar inconveniente de uma suposta filha esquecível (Danika Yarosh) e no resgate da bela namorada (Cobie Smulders), que briga e corre melhor do que ele.Jack Reacher – Sem Retorno(Jack Reacher: Never Go Back, EUA, 2016), de Edward Zwick (O Último Samurai).Ação. 12 anos.118 min. Nota :2,0. Nota - 02