Crítica – Horizonte Profundo – Desastre no Golfo (2016)

296558-jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Grandes poderes trazem grandes responsabilidades

O maior desastre desastre ecológico da história dos Estados Unidos ocorreu em 2010,quando a explosão de uma plataforma de perfuração marítima demorou 87 dias para ser controlada, derramando milhões de litros de petróleo no mar do Golfo do México. Mais do que outro filme catástrofe, o diretor Peter Berg faz questão de denunciar a incompetência do supervisor Donald Vidrine (John Malkovich), o principal culpado pela tragédia devido a sua mania de grandeza. Apesar da característica câmera tremida incomodar em alguns momentos, as boas cenas de ação compensam. Uma história simples para refletirmos nas cenas finais.Horizonte Profundo – Desastre no Golfo (Deepwater Horizon, EUA, 2016), de Peter Berg (O Grande Herói) Ação com Mark Wahlberg, Kurt Russell, Kate Hudson.107 min.12 anos.Nota :3,0.

Nota - 03