Crítica – Fora do Rumo (2016)

469885-jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Jackie Chan está ficando sem graça 

Jackie Chan não está sabendo envelhecer, como outros astros famosos dos anos 80 e 90. Apesar do eterno carisma e de continuar lutando muito bem aos 62 anos, ele está mais lento e suas coreografias já não são as mesmas;seu estilo peculiar de atuação caducou. Por esse motivo, o novo longa poderia ser mais simples, ou pelo menos um pouco diferente e menos confuso, com seus inúmeros flashbacks e vilões que na verdade são mocinhos e mocinhos que se transformam em vilões. Uma comédia que tenta ser séria, mas em alguns momentos se transforma em um pastelão mal executado. Na trama, Chan é (como sempre) um policial de Hong Kong que precisa proteger o americano falastrão Connor Watts (Johnny Knoxville), que testemunhou um assassinato, enquanto são perseguidos pela máfia chinesa.Fora do Rumo.(Skiptrace, EUA, China, Hong Kong, 2016), de Renny Harlin(Hércules) .Ação.111 min. Nota :2,0. 

Nota - 02