Crítica – No Fim do Túnel (2016)

212424-jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Deficiente pra lá de eficiente

Solitário cadeirante(Leonardo Sbaraglia) vive há pouco tempo em um casarão cheio de escadas após perder a mulher e a filha.Acidentalmente o perito em informática passa a monitorar o desenvolvimento de um roubo milionário em um banco  ao lado de sua casa.Com astúcia,  sorte,perseverança e uma ótima tecnologia que ele próprio  desenvolveu  tenta se livrar dos bandidos,á  exemplo do envelhecido Bruce Wayne de muletas  aos 86 anos, protagonista da animação Batman do Futuro.Logo,um corpo bem treinado torna-se inútil se o  cérebro não está emocionalmente preparado nas horas decisivas e acaba tomando  as decisões erradas .No Fim do Túnel.(Al final del túnel, Espanha, 2016), de Rodrigo Grande.Suspense.120 min.16 anos.Nota :4,0.

Nota - 04