Crítica – Aquarius (2016)

600x337_affiche_aquarius_1

Amor sem Apego

Uma grande e corrupta construtora deseja comprar o último prédio de estilo antigo da Praia de Boa Viagem, no Recife para demoli-lo e construir outro empreendimento . Com exceção de Clara(Sonia Braga), abastada viúva de três filhos adultos , todos os outros moradores aceitaram a quantia de 2 milhões de reais e se mudaram. Moradora por mais de 30 anos daquele  tesouro genealógico, a conservadora jornalista aposentada que adora ouvir LP´s, jamais  pretende sair de lá deixando os outros condôminos sem receber um centavo.A atitude egoísta de Clara é digna de um eremita do deserto o que gerou inclusive inúmeros transtornos familiares. “As paixões são como um cavalo que é útil quando governado e perigoso quando governa. Reconhecei, pois, que uma paixão se torna perniciosa no momento em que a deixais de governar, e quando resulta num prejuízo qualquer para vós ou para outro.”(Livro dos Espíritos).131 min. Aquarius (Brasil, França, 2016), de Kleber Mendonça Filho ( O Som ao Redor).18 anos.Nota :4,0.

Nota - 04