Crítica – Francofonia – Louvre Sob Ocupação (2016)

429128.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Arte sangrenta

Em 1940 quando as tropas nazistas tomaram conta da cidade de Paris, Jacques Jaujard, o diretor do Museu do Louvre, e o conde Franz von Wolff-Metternich, chefe da Kunstschutz (Comissão Alemã para a Proteção de Obras de Arte em França) unem-se para preservar as coleções do maior museu francês.Pensando na relação entre arte e poder, o documentário filmado no Museu do Louvre questiona se a arte pode nos ensinar sobre nós mesmo, inclusive nos momentos mais sangrentos do mundo.Francofonia – Louvre Sob Ocupação (Francofonia, le louvre sous l’occupation, França, Alemanha, Holanda, 2016), de Alexander Sokurov. Documentário.  10 anos. Nota:3,0.

 Nota - 03