Crítica – Jason Bourne (2016)

024756.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Bourne  updated : Espionagem mais cruel a cada dia

Após relembrar a verdadeira identidade Jason Bourne (Matt Damon) descobre que seu pai foi assassinado antes dele integrar  o  programa de super soldados. O quinto filme da franquia é um tanto conservador, ignora o anterior,mas relembra  cenas clássicas de A Supremacia Bourne e O Ultimato Bourne  do mesmo diretor, como as eletrizantes perseguições em câmera nervosa pelas ruelas europeias . Na trama, o novo e maquiavélico diretor da CIA(Tommy Lee Jones), inicia uma nova fase de espionagem auxiliado por um impiedoso e vingativo assassino(Vincent Cassel) e a novata idealista(Alicia Vikander) que acredita piamente na recuperação da cruel entidade.Jason Bourne (Jason Bourne, EUA, 2016), de Paul Greengrass .Ação.123 min.14 anos.Nota :3,5.

Nota - 3,5