Crítica – A Lenda de Tarzan (2016)

547595.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx 

Do Mito ao homem

Os mitos explicam com profundidade as relações do homem com a natureza (Deus) e a sociedade, guarda em si a chave para o entendimento do mundo e da nossa mente analítica. A lenda de Tarzan  inspirada nos gêmeos Rômulo e Remo,(filhos do Deus Ares ou Marte com a mortal Réia Sílvia) criados e amamentados por uma loba, serviu para dar a Roma uma origem nobre e imortal, enquanto confronta a supremacia da cultura grega sobre a romana.A exemplo do novo filme do Hércules estrelado por Dwayne Johnson , esta nova versão humaniza o personagem criado por Edgar Rice  á partir do primeiro contato com a civilização londrina da década de 30 . Já casado com Jane(Margot Robbie), Tarzan( Alexander Skarsgård) precisa  voltar ao lar  para impedir um inescrupuloso explorador(Christoph Waltz)  de escravizar a região da África  onde nasceu. O futuro clássico da sessão da tarde  homenageia o  primeiro trabalho protagonizado por Johnny Weissmuller (Tarzan, o Homem Macaco),  famoso pelo melódico grito. Destaque para a linda fotografia e as comoventes expressões dos animais em CGI.A Lenda de Tarzan (Tarzan, EUA, 2016), de David Yates(Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2).Aventura com Samuel L. Jackson.110 min. 12 anos. Nota :3,0.Nota - 03