Crítica- Raça (2015)

307613.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Adversário do nazismo e do preconceito racial

Pouca gente sabe que o segundo maior atleta do século XX foi o velocista Jesse Owens (Stephan James) atrás do rei Pelé.Seu grande feito foi calar a boca do então chanceler Adolf Hitler durante as Olimpíadas de Berlim em 1936 conquistando quatro medalhas de ouro nos 100 e 200 metros rasos, no salto em distância e no revezamento 4×100 metros.  No entanto, o maior adversário foi o racismo dentro do próprio país que quase proibiu os atletas negros e judeus de competir a pedido dos nazistas, e que nunca reconheceu publicamente as proezas do atleta em vida. Já a anfitriã Leni Riefenstahl (Carice Van Houten) e grande documentarista dos jogos, intitulado posteriormente  Olympia  (1938) destacou o campeão negro em closes individuais com suas câmeras de última geração. Somente em 2012 Owens é imortalizado no Hall of  Fame do atletismo americano.Raça (Race, França, Alemanha, Canadá, 2015), de Stephen Hopkins.Drama com  William Hurt, Jeremy Irons. 118 min.  Nota :4,0.

Nota - 04