Crítica – Independence Day – O Ressurgimento (2016)

300750.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx (1)

Independence Day na era digital                                     

Utilizando a tecnologia remanescente do ataque alienígena de 1996, a humanidade se une  e reconstrói uma nova civilização futurista semelhante a de Krypton e Nosso Lar (ainda sem a mesma moralidade). Por isso, um dos protagonistas é membro da filosofia solidária africana Ubuntu (Gbenga Akinnagbe). Viagens á Lua tornam-se corriqueiras igual a homenagem feita pelo desenho Futurama a primeira chegada do homem á Lua. Já o confronto final é muito parecido com o anterior:  ataques frontais, sem estrategia alguma utilizando caças espaciais que lembraram o  animê Robotech. Um filme alegre, ingênuo e divertido, dessa vez  sem patriotada. Destaque para os incríveis efeitos visuais.Ótimo programa de domingo á tarde. Independence Day – O Ressurgimento (Independence Day: Ressurgence, EUA, 2016), de Roland Emmerich (2012)  Ficção Científica com  Bill Pulman, Liam Hemsworth,Jeff Goldblum. Nota :3,0.

Nota - 03