Crítica – Rock em Cabul (2016)

220705.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Rock  das Cavernas

Richie Lanz (Bill Murray) é um caça-talentos musicais decadente e falido; em sua última e louca cartada o tiro saiu pela culatra e ele acaba sozinho,  sem dinheiro e sem passaporte em Cabul no Afeganistão.Até que na calada da noite nas claustrofóbicas cavernas do deserto onde Bin Laden se escondia, ouve uma linda e potente melodia de um jovem nativa(Leem Lubany); a chance que esperava para a retomada do sucesso.Para isso, conta com a ajuda de um guerrilheiro mercenário(Bruce Willis) e uma estonteante garota de programa (Kate Hudson) para  tentar inscreve-la em um famoso show de calouros empresariando a primeira mulher cantora a participar o que contraria as regras da religião machista dominante. Vale o ingresso pelo protagonista, trilha sonora e pela bela fotografia. Rock em Cabul.(Rock the kasbah, EUA, 2015), de Barry Levinson(Bom Dia, Vietnã) Comédia.107 min.14 anos.. Nota :2,5.Nota - 2,5