Crítica – Mogli – O Menino Lobo (2015)

102250.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx.jpg

Mogli : moderno , juvenil e fantástico

A história é a mesma;  um órfão criado por lobos que precisa escapar do temível tigre Shere Khan(Idris Elba ) até chegar na aldeia dos homens . Para isso conta com a ajuda de toda alcateia liderados por Akela( Giancarlo Esposito) e  Rakcha (Lupita Nyong’o ) que o adotaram, da pragmática pantera  Bagheera(Ben Kingsley) que o acolheu e do amável e carismático urso bon vivant  Baloo  (Bill Murray) .Diferente do inesquecível clássico ingênuo  e restrito, temos aqui uma fantástica animação em CGI que impressiona pela textura e expressão das personagens;além de aprofundar e detalhar a trama  de 1967 de forma dramática, realista, envolto em belas e sombrias paisagens, como o nebuloso e creonteano ambiente da traiçoeira cobra Kaa(Scarlett Johansson) . Cheio de defeitos prometheanos justificáveis, o pequeno indiano  demonstra ser um garoto astuto , inteligente e conhecedor de todos os atalhos da selva onde mora , capaz de enfrentar de igual para igual todos os desafios propostos. Mogli – O Menino Lobo.(The Jungle Book, EUA, 2015), de Jon Favreau (Homem de Ferro).Aventura em 3D.105 min.10 anos.Nota :4,5.Nota - 4,5