Crítica – Mente Criminosa (2015)

306432.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx

Amor Compulsório

Jericho (Kevin Costner -ótimo)  é um mentecapto no corredor da morte que recebe ás pressas um implante no cérebro com as últimas memórias, segredos e habilidades de  Bill Pope (Ryan Reynolds) ,um falecido agente da CIA que sabe do paradeiro de um hacker(Michael Pitt) capaz de iniciar uma guerra nuclear. Por esse motivo, Pope  foi assassinado “acidentalmente” por uma organização criminosa agora na caça do condenado em fuga.Devido a esses novos conhecimentos compulsórios Jericho  passa a ter compaixão pelo próximo, sobretudo pela mulher(Gal Gadot- Mulher Maravilha) e pela filha pequena do morto, uma prova cabal de que a educação consegue mudar pessoas que poderão transformar o mundo mais tarde. Com Tommy Lee Jones e Gary Oldman.Mente Criminosa (Criminal, EUA, 2015), de Ariel Vromen.Ação.113 min.Nota :3,5.Nota - 3,5