Crítica – Voando Alto (2016)

431407.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx

Qualquer um pode um grande vencedor

Tem se tornado comum filmes de superação como este.O  herói  desacreditado , ridicularizado e sem cacoete para o grande desafio proposto que acaba queimando a língua da maioria dos invejosos de plantão. Mesmo cheio de chicles o que o torna este longa especial é a entrada triunfante do nosso eterno cowboy canastrão Hugh “Wolverine” Jackman partir da metade.Além disso , as cenas cruciais são perfeitas , cheias de suspense trazendo fôlego extra e novas alternativas á monotonia inicial. O herói em questão é Eddie The Eagle”(Taron Egerton) o mais famoso atleta de esqui da história britânica revelado durante dos Jogos Olímpicos de Inverno de Calgary no Canadá em 1988,o mesmo torneio da carismática equipe jamaicana de trenó( Bobsleigh) que inspirou o filme Jamaica Abaixo de Zero estrelado pelo saudoso John Candy. Voando alto (Eddie The Eagle, EUA, Reino Unido, Alemanha, 2015), de Dexter Fletcher.Drama. Nota :3,5.Nota - 3,5