Crítica – Nos Passos do Mestre (2016)

miniatura

Estava tudo planejado por Jesus

O novo filme Espírita sobre a vida do Mestre tentará mostrar que ele não era um religioso Católico,  Protestante ou Espírita porque estava em comunhão permanente com o Pai. Religar-mos-nós á Deus é que precisamos após um pensamento negativo.Jesus foi o maior pedagogo porque colocou em prática tudo o que ministrou. Foi o maior cientista e marqueteiro de todos os tempos porque dividiu o tempo após três ou quatro anos de vida pública e sua mensagem nunca mais se apagou. Ademais,organizou a vida de modo á parecer um drama hollywoodiano com perseguições , traições,culminando na espetacular crucificação seguida de uma fantástica ressurreição. Isso porque até hoje adoramos sensacionalismo;ignoramos as curas e ensinamentos que ele protagonizou. Quatro séculos mais tarde, o cristianismo primitivo foi deturpado pelo Imperador Constantino impondo deuses gregos e romanos. Lutero tentou devolvê-lo ás origens sem sucesso.Árdua tarefa agora nas mãos do Consolador Prometido pelo Cristo em sua última ceia: O Espiritismo Kardecista e as mensagens complementares ao Evangelho que ele deixou para nós.Nos passos do Mestre, Brasil, 2016, de André Marouço(Causa e Efeito).Drama. 100 min.10 anos.

sinopse
O filme aborda passagens que envolvem a vida do Cristo sem o apego a dogmas e contesta racionalmente: A virgindade de Maria; o batismo de Jesus; Suas curas e milagres; a traição de Judas, a ressurreição de Lázaro e do próprio Jesus, entre outros temas importantes analisados sob os aspectos educacionais e morais da obra do Cristo.