Crítica – Desajustados (2015)

330197.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx   

 Tímido, mas indulgente

A timidez está longe de ser um dos piores defeitos do ser humano, contudo em excesso, ela acaba impedindo a pessoa de se correlacionar.Numa sociedade cruel como a nossa a timidez tornou-se a principal característica  das pessoas que sofrem bullying, sobretudo no trabalho.É o caso do tímido e introspectivo Fusi (Gunnar Jónsson; virgem aos 43 anos ainda mora com a mãe, por isso é humilhado com frequência pelos colegas de trabalho.Isso até conhecer a vibrante e um tanto volúvel Alma (Illmur Kristjánsdóttir) nas aulas de dança sacrificando-se a partir daí para corresponder as expectativas dela, sem reclamar.Desajustados (Fúsi, Dinamarca, Islândia, 2015), de Dagur Kari.Drama. Nota :3,5.Nota - 3,5