Crítica – Amor em Sampa (2015)

401308.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx

Seja a mudança que você deseja ver no mundo – Gandhi

Á exemplo da trilogia Cidades do Amor e do filme de Woody Allen Todos Dizem Eu Te Amo, Bruna Lombardi ao lado do Marido Carlos Alberto Riccelli e do filho Kim dirige, produz e roteiriza  competente ode á Pauliceia Desvairada em uma bela fotografia, inclusive. O elenco de peso ( Rodrigo Lombardi, Tiago Abravanel, Edu Moscovis, Miá Mello )  atua,  canta e dança representando as diversas culturas, classes sociais  e etnias daqui em 5 contos narrados pelo taxista Cosmo (Carlos Alberto Riccelli). Por fim, o longa é um incentivo ao cidadão disposto a melhorar sua cidade do coração e ajudar o próximo, já que os governantes brasileiros nunca pensaram na população com a cabeça de um político europeu competente . Amor em Sampa (Brasil, 2015), de Carlos Alberto Riccelli, Kim Riccelli . Comédia.113 min.12 anos. Nota : 3,5.Nota - 3,5