Batman e a Filosofia: pensando na morte do Coringa

Nota - 4,5

Kitty Prado - Quando todo dia é dia de nerdar

Batman talvez seja o personagem mais complexo que já apareceu nos quadrinhos. São tantos conflitos (externos e internos) que não faltou material para o livro Batman e a Filosofia, publicado pela editora Madras.

Como sempre faço com os títulos dessa coleção, começo a ler os artigos que me chamam mais atenção. Nesse caso foi especialmente difícil escolher, porque todos os assuntos pareciam bastante interessantes. São questões deliciosamente divertidas como “A loucura do Coringa – O príncipe palhaço pode ser considerado moralmente responsável?”, “Bruce Wayne deveria ter se tornado Batman?”, “Batman poderia ser o Coringa” ou “Por que Batman é melhor do que Super-Homem?”. Escolhi então uma questão que sempre me passou pela cabeça.

Por que Batman não mata o Coringa?

Qualquer fã daria uma resposta rápida a essa questão. O Cavaleiro das Trevas jurou não matar para não se equiparar aos criminosos que caça pelas noites…

Ver o post original 793 mais palavras