Crítica – Cinco Graças (2015)

535860.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx

Cansamos !

berdadeAdolescente é tudo igual: gosta de beijar,passear e namorar; de ser livre para poder sentir o vento esvoaçando em seus cabelos longos.Após o advento da internet as mulheres escravocratas das religiões  fundamentalistas,sobretudo em algumas regiões da Turquia passaram a protestar por uma vida democrática acidental. A trama indicada ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro pela França é o grito de basta de cinco adolescentes confinadas em seu quarto fortificado podendo sair somente para ir a escola e arrumar a casa até a família arranjar-lhes um marido desconhecido para serem infelizes para sempre.A melhor cena é quando todas unidas vão escondidas ao jogo de futebol,mas são flagradas pelas câmeras do estádio. A maré está mudando.Outro muro moralista e dogmático está próximo de cair. Cinco Graças (Mustang, Turquia, França, Alemanha, 2015), de Deniz Gamze Ergüven.Drama.97 min. 14 anos.Nota :3.5.Nota - 3,5