Crítica – Body (2015)

1213013_Body 2_600

Drama espírita kardecista premiado em Berlim 

Após a trágica morte da esposa  pai e  filha tem dificuldade em se relacionar.Anoréxica,  Olga   passa a fazer tratamento espírita em grupo acompanhado da terapeuta médium, responsável pela  futura psicografia da mãe  desencarnada;visto que o perito criminal é ocupado demais para cuidar dela.Porém, a carta acaba trazendo intimas e confidenciais revelações abalando o ceticismo dos dois. A polonesa Malgorzata Szumowska que recebeu o prêmio de direção no Festival de Berlim realizou o melhor filme Espírita Kardecista  desta década  ,indicando que existem mais de dois milhões de espíritas no Brasil e mais de vinte milhões seguidores dedicados. No final, até o médium mais famoso do Brasil Divaldo Franco foi mencionado em uma linda frase de sua autoria: “A pessoa que ama nunca fica doente”.Body (Cialo, Polônia, 2015), de Malgorzata Szumowska .Drama. 90 min.14 anos. Nota :3,5. Nota - 03

,