Crítica | Não Olhe Para Trás

Nota - 03

Centro do Cinema

É raro se deparar com uma história simples e cativante, que te mostra o lado obscuro da vida, mas também te dá um sopro de esperança. Não Olhe Para Trás (Danny Collins) é um desses filmes em que você não cria a menor expectativa, no entanto, pode se encantar profundamente com as palavras, os gestos e os olhares em cada cena.
Tudo se inicia na década de 1970, quanto um estreante da música começa a fazer sucesso e um jornalista publica uma matéria sobre o seu medo diante da galopante fama e dinheiro futuros. Sem malícia, o jovem artista admite ter receio do seu sucesso na indústria fonográfica. Lá se vão 40 anos e o jovem compositor em questão se torna o fenômeno sexagenário Danny Collins (Al Pacino).

Danny Collins

Com uma música que sacode multidões, o cantor não lança nada novo há 20 anos e vive de coletâneas e turnês com a…

Ver o post original 457 mais palavras