Crítica – Malala (2015)

20150828_JR_Malala_0232B_flat.jpg A menina que desafiou o Talibã

O livro sempre foi o maior inimigo dos ditadores, sobretudo nos estados laicos, confessionais islâmicos e teocráticos.Desde o infalível papado medieval até o nazismo ,fascismo , comunismo e socialismo de hoje, queimam-se livros em praça pública impedindo o povo de pensar. Para mudar este panorama nefasto eis que surge a heroica paquistanesa Malala, uma blogueira  de 15 anos acolhida pelos ingleses  que comoveu o mundo ao desafiar o talibã, ensinando, á exemplo do pai orador ,discernir  o certo do errado ,ao contrário da maioria da população que aceita cegamente os conceitos impostos e preestabelecidos pelos terroristas islâmicos em sua terra natal. Malala (He Named Me Malala, EUA, 2015), de Davis Guggenheim( Uma verdade inconveniente).Documentário.87 min.12 anos.Nota :3,5.Nota - 3,5