Monstros (Freaks, 1932)

Nota - 3,5

Análise Indiscreta

Freaks é um milagre cinematográfico que só poderia ter sido feito na sua época. Em 1932 ainda não havia o Código de Produção que, de 1934 a 1966, limitou a liberdade de expressão artística no cinema. O politicamente correto não infestava as produções. Os efeitos especiais, ainda precários, não eram uma exigência do mercado. Com atores reais interpretando “deformidades da natureza”, “aberrações” circenses e um roteiro sinistro, Freaks tinha tudo para ser um sucesso de público.

Não o foi, porém. Poucos tiveram coragem de vê-lo. Exibidores se recusarem a exibir a obra maldita. A crítica foi severa. Depois do Código, então, as chances de chegar ao público se reduziram a zero. Décadas depois, no entanto, redescoberto e alçado ao título de cult, Freaks continua controverso, fascinante e profundo na sua condição de filme-marginal; status esse ainda injusto diante da grandeza dessa obra.

Apesar da mensagem introdutória expressa – a de…

Ver o post original 310 mais palavras