Crítica – Horas de Desespero (2015)

387255.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxxRevolução ao invés de evolução 

No mesmo dia em que o executivo americano Jack Dwyer(Owen Wilson) ao lado da esposa e as duas filhas pequenas desembarcam para uma nova fase no Leste Asiático acontece um violento Golpe de Estado. Desesperado ele tenta proteger seu maior tesouro, o único que as traças não corroem com o tempo; quando surge inesperadamente o aventureiro Hammond (Pierce Brosnan) para tentar tirá-los do país com vida .Um thriller de ação que marcou a estreia do comediante Owen Wilson ao gênero de ação com sucesso, devido as cenas  em close de ranger os dentes. Ditaduras caem a todo  momento, e grupos rebeldes extremistas surgem no mesmo ritmo; uma trágica realidade semelhante a nossa, infelizmente.Horas de desespero (No Escape, EUA, 2015), de John Erick Dowdle(Quarentena).Ação.101 min.16 anos.Nota :3,5.Nota - 3,5

007194.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx 248841.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx 384599.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx 385693.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx 386474.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx 388818.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx 470937.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx