Cinema.Estreias da Semana.02.10.15

 

estreias.02.10.15

Vá plantar batatas em Marte !

Há fortes indícios  de que Matt Damon e seu personagem “naufragado” no Planeta Vermelho  pode ganhar o Oscar em 28 de fevereiro de 2016.De fato o botânico eremita Mark Watney fez de um limão uma limonada,digo batata, dando uma aula de fé, otimismo e superação á todos. Além disso, foi técnico inteligente e criativo quando necessário para se sustentar e se comunicar com a Terra .Matt Damon Perdido em Marte

No entanto, se o visual fantástico e alegre  impressionou  ao lado do grande elenco, faltou dramaticidade e clausura na trama, sobretudo a típica burocracia da NASA na hora de resgatá-lo diante do clamor popular,o que poderia transformar o longa de Ridley Scott em um épico  mais adulto e equilibrado ao lado de Interstellar  e Gravidade em vez de um clássico ufanista querendo fazer média com o governo chinês. Com Jessica Chastain, Kristen Wiig, Jeff Daniels, Michael Peña, Sean Bean, Kate Mara, Sebastian Stan e Chiwetel Ejiofor.Perdido em Marte (The Martian, EUA, 2015), de Ridley Scott.120 min.12 anos Nota :3,5. Nota - 3,5

vai que cola

Quase igual a série

 Vai que cola é a adaptação do seriado  de grande sucesso do Multishow nos moldes da Grande Família, mas gravado ao vivo do teatro como era o Sai de Baixo. A trama é sempre a mesma: uma família de classe média baixa do subúrbio que tenta se dar bem na vida fazendo trambiques. No filme, em uma dessas falcatruas, eles acabam indo morar numa linda cobertura  no Leblon (RJ).Como na série,é uma  comédia politicamente incorreta , cheia de improvisos e palavrões que se sustenta devido a expressão corporal e a criatividade dos atores em cena contando com toda irreverência do mediador Paulo Gustavo.Além disso, temos no diversificado elenco: gays,negros,loiras,míopes e gordos debochando de si próprio e dos estereótipos dos colegas a todo momento ( inclusive na coletiva de imprensa),a prova de que o maior defeito do ser humano é o preconceito. Com Samantha Schmutz, Fiorella Mattheis, Cacau Protásio e Fernando Caruso  Vai que cola – O filme (Brasil, 2015), de César Rodrigues.Comédia. 100 min.12 anos.Nota :3,0 Nota - 03


​Chaplin – Verdadeiro judeu e socialista nato

O monotrilho do Governador Alckmin foi embargado por um cemitério católico próximo a obra alegando que 15 jazigos seriam danificados, além  do excesso de barulho diário , seria uma afronta ao principio da dignidade humana. Em outras palavras o que eles querem é dar sempre boas condições de vida aos mortos. Ao contrário da família de Charlie Chaplin que pouco se importou quando o caixão do “saudoso vagabundo” foi furtado logo após seu falecimento em 1977. A ideia do furto partiu do ex-presidiário Eddy (Benoît Poelvoorde) ,cuja intenção era ajudar o amigo desesperado a pagar o custoso tratamento da esposa doente. O Preço da Fama (La rançon de la gloire, França, 2014), de Xavier Beauvois.Drama.110 min.Nota :3,0.

 Nota - 03


​O clube

Quatro padres vivem numa casa isolada à beira-mar. Cada um tem um pecado a ser expiado, e eles estão sob a direção de um guardião. Quando um quinto padre chega, ele desperta os pecados enterrados pelos quatro anteriores. O longa trata de assuntos polêmicos como a pedofilia na igreja. Assim como no Brasil e no Chile, casas em condições semelhantes de “O Clube” estão espalhadas pelo mundo todo, com a intenção de fugir das investigações policiais e evitar a exposição negativa da igreja. Vencedor do Urso de Prata no Festival de Berlin 2015. O Clube.(El Club, Chile, 2015), de Pablo Larraín(NO)..Drama.98 min.16 anos.

583255.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx

Da Luz para Escuridão

O cineasta Michael King (Shane Johnson) está de luto após a morte da esposa. Ele não acredita em lendas, Deus e muito menos no Diabo, mas está decidido a entender melhor o mundo divino e o sobrenatural recorrendo a cartomancia e à necromancia. Seu objetivo é registrar tudo para a realização de um documentário e provar se tudo o que não acredita é mesmo inexistente. Um padre então lhe disse que as pessoas preferem fazer pactos com demônios em vez de anjos porque os demônios atendem da mesma hora, ao contrário dos anjos que atendem quando por conveniente. Ao estilo Found Footage  observamos as fases de obsessão, fascinação, subjugação e possessão na pobre alma que provou  uma dolorosa experiência sem volta ao lado da filha pequena em prol de suas convicções fundamentalistas. A possessão do mal (The Possession Of Michael King, EUA, 2014), de David Jung .Terror.83 min.16 anos.Nota :2,5. Nota - 2,5