Crítica: Gattaca – A Experiência Genética (1997)

Nota - 04

Cultura intratecal

Gattaca apresenta um mundo tecnologicamente avançado, mas perturbador. Num futuro não muito distante os nascimentos por parto natural não são mais considerados naturais. Os chamados “filhos de Deus” se tornam cada vez menos comuns, dando lugar as crianças geradas por uma fertilização artificial que tem a capacidade de criar um ser humano sem a maioria dos problemas que nos acometem, como calvice, miopia e até mesmo coisas mais sérias, como propensão a doenças fatais. Os pais podem escolher como serão seus filhos, se serão morenos ou loiros, com olhos verdes ou azuis e assim por diante.
Desde o nascimento já sabemos as habilidades que uma pessoa pode vir a ter, então se ela tem um bom código genético ela vai se dar bem na vida, se o seu sangue for ruim, será um plebeu, será ralé. Nem no futuro escaparemos do preconceito e da discrminação e no mundo de Gattaca…

Ver o post original 204 mais palavras