016 –Crítica – Batman  and the Mad Monk ( 2006)

16Exatamente de onde parou a edição anterior, Batman pega a mulher gato roubando e desfaz a sociedade.Enquanto isso, Julie desiste de mais um encontro furado. Na verdade Batman estava ajudando Gordon a se defender dos capangas do Comissário corrupto Grogan semelhante ao Ano I.Os dois estão investigando misteriosas mortes de jovens garotas.Quanto a Hugo Strange ,Gordon descobriu que foi abandonado em um orfanato quando criança, mas ninguém sabe como conseguiu fazer o curso de medicina

16.1

Julie está muito preocupada como o pai em dívida com Maroni e Falconi.O promotor Harvey Dent com a ajuda de Batman investiga os dois minuciosamente

 16.2

Nesse capitulo o mistério sobre as garotas mortas é revelado: A responsável  é Dala,  uma mulher linda e sensual que atordoa garotas com uma espécie de perfume “boa noite Cinderela” para conduzi-las a um ritual satânico em uma organização secreta chamada Irmandade.

 16.3

Julie é capturada  ao lado de amigas e levada a um imenso castelo se deparando com o tenebroso Monge conhecido como  Niccolai Tepes.Ela é poupada, hipnotizada para trazer a senha da conta bancaria do pai.Bruce percebe mordidas de vampiro na namorada.Preventivo cria Batrangues de prata. O tiro sai pela culatra e Batman sai gravemente ferido do castelo.

 16.6.1Norman Madison  é morto pelos capangas de Maroni,tampouco o Monge por outro Encapuzado na segunda tentativa de infiltração na castelo.Julie vai morar na África deixando uma carta de despedida á Bruce Wayne. O monge apareceu pela primeira vez em Detective Comics # 31 em 1939. Ele é um dos primeiros vilões significativos da série (originalmente como vampiro atacando Julie como isca).Nota : 5,0

5 estrelas

16.4 16.6.2 16.6.3

Anúncios