Enfermagem do Espírito

Enfermagem do Espírito

Reunião pública de 2-12-60 – Questão n.° 254 – § 6.°

Observa o recinto onde repousa, em tratamento, o enfermo que amas.

Enterneces-te ao vê-lo vencido, aniquilado, sofredor … Nem de leve poderias admitir a leviandade da visita que lhe invocasse a atenção fatigada, para questões inoportunas.

Não compreenderias a atitude de quem buscasse converter tanta dor em razão para motejo.

Agradeces para ele o auxílio e o respeito, o remédio e o silêncio …

Vê-se o Espírito desencamado, em perturbação, nas mesmas circunstâncias …

Ajuda-o, nas reuniões íntimas de oração, facilmente conversíveis em gabinetes curativos da alma.

Não lhe exponhas o martírio mental à curiosidade ou ao gracejo.

Ampara-o com discreção e bondade.

É nosso irmão, acima de tudo.

É o necessitado de hoje lembra-nos que é possível sejamos nós o necessitado de amanhã.

Emmanuel