18 anti-heróis mais adorados do cinema

Depois de seguir a linha da maldade em 10 Assassinos Mascarados do Cinema vamos amenizar mais as coisas e falar de Anti-Heróis. Anti-herói é o termo que designa o personagem caracterizado por atitudes referentes ao contexto do conto contemporâneo, mas que não possuem vocação heroica ou que realizam a justiça por motivos egoístas, pessoais, vingança, por vaidade ou por quaisquer gêneros que não sejam altruístas, ou seja, é o contrário da ideia que se tem de herói. São personagens não relativamente maus e que, às vezes, até praticam atos moralmente aprováveis. Contudo, algumas vezes é difícil traçar a linha que separa o anti-herói do vilão; no entanto, note-se que o anti-herói, diferente do vilão, sempre obtém aprovação, seja através de seu carisma, seja por meio de seus objetivos muitas vezes justos ou ao menos compreensíveis, o que jamais os torna legais. A malandragem, por exemplo, é uma ferramenta tipicamente anti-heroica. Mas o que faz um anti-herói não é apenas o seu jeito contrario de levar as coisas, sua carisma é algo que o torna um, ter a simpatia do publico é a principal qualidade de um anti-herói. Na ficção a maioria dos anti-heróis tem sido mais populares que os heróis é visto que atualmente eles tem aparecido bastante nas telonas inclusive como protagonistas.

18. Rorschach – Watchmen

 

Extremamente inteligente, tem uma visão um pouco diferenciada completamente distópica do mundo. Sua opinião mudou após tentar salvar uma garotinha de um sequestro e descobrir que ela havia sido morta e dada aos cachorros. Impiedoso, frio e instável. Para Rorschach a raça humana não vale nada, e ele também não. E ai que o alter-ego de Walter Kovacs deixa de existir, servindo apenas como disfarce, para dar vida a Rorschach. Quem não lembra da famosa frase “Eu não estou preso com vocês. Vocês estão presos comigo!”

17. D-Fens – Um Dia de Fúria

 

Michael Douglas faz o papel de “D-Fens”, um homem normal que passa por um daqueles dias em que tudo o que pode dar errado acontece. Desempregado a meia-idade, enfrentando um calor no meio de um engarrafamento, tentando chegar em casa para festa de aniversário de sua filha, mas é impedido por diversos problemas de uma sociedade injusta. Que fazem com que ele perca a sanidade. Sua resposta e tornar-se um vigilante que vai ficando cada vez mais violento conforme a sua estabilidade mental vai denegrindo.

16. V – V de Vingança

 

 
Astúcia, habilidades de luta superiores, e completa desconsideração pelas as leis totalitárias de sua sociedade faz dele um dos maiores anti-heróis de todos os tempos. V é um radical político de seu tempo, mas ao contrário de muitos ativistas políticos, V não tem medo de usar da violência para conseguir o que quer, o que faz dele um anti-herói perfeito. No entanto, o que o faz ele ser lembrado é o que ele passa para nós, V não é apenas um personagem,é uma ideia que transcende o espaço e o tempo. V não é uma pessoa, ele é o anti-herói dentro de todos nós, apenas esperando para sair. V é o rosto da mudança, o rosto de uma reforma em uma sociedade que precisa desesperadamente dela. Sua influência se estende por gerações, e mesmo que o ele possa está morto, a ideia nunca será esquecida. Quando ele está prestes a matar Creedy, V explica seu senso de imortalidade que transcende este cenário futurista, “Debaixo desta máscara há mais do que carne. Abaixo desta máscara há uma ideia, o Sr. Creedy, e idéias são à prova de balas “.

15. Pistoleiro sem nome – Por um punhado de dólares

 

Não tem como não lembrar de Clint Eastwood e o seu “Pistoleiro sem nome” nos filmes de faroeste. Um homem com um passado obscuro, sem futuro, e ele sabe como matar e como seguir em frente após o abate. Ele não é gentil, mas ele é justo. Ele é um mercenário e ele sabe disso, mas ele só vai matar outros assassinos e é assim que ele ganha a vida. Ele não tem nome, porque ele não tem futuro, mas ele tem um verdadeiro código de honra. Não é bom, não é ruim, mas é honrosa, o perfeito anti-herói.

14. Jack Sparrow –  Piratas do Caribe

 

Sparrow é um malandro trapaceiro que usa de sua inteligência e falsidade para atingir seus objetivos, preferindo disputas verbais a ter que usar da força. Ele sempre anda com um ar de superioridade, ligeiramente embriagado, com uma fala arrastada e a fazer gestos com as mãos. Jack Sparrow não é muito respeitado, mas é astuto, calculista e excêntrico. Apesar de um pirata disposto a matar os seus inimigos em uma luta, Jack também mostrou uma certa relutância em matar pessoas a que não deseje o mal, como pode ser visto quando ele preferiu simplesmente evitar uma briga com Will Turner ao encontra-lo pela primeira vez (a luta acaba sendo provocada pela insistência de Turner), ou quando enfrenta soldados ou oficiais da Marinha que estão apenas atrás dele, porque é o seu trabalho e não porque eles têm problemas pessoais com ele, Jack geralmente recorre simplesmente a abate-los ou distraí-los enquanto foge. Quando Will é ferido mortalmente por Davy Jones, ele abandona seu sonho de esfaquear o coração de Jones e tornar-se imortal.

13. Severus Snape – Harry Potter

 

 

Snape é descrito como frio, calculista, preciso, sarcástico e amargo. Ele não gosta de Harry e muitas vezes o insulta ao falar mal de seu pai. À com o decorrer dos filmes é revelado que Snape possuía uma rivalidade com o Pai de Harry nos tempos de escola. Snape se tornou fechado, muito inseguro e vulnerável quando jovem, que poderia ter se tornado um Comensal da Morte. Mas quando adulto se tornou muito seguro de si e confiante de suas habilidades. Sendo um personagem de seriedade, autoridade e poder. Normalmente aparenta ser muito calmo e sereno, para ele pessoas que não controlam suas emoções são fracas. Snape se mostra inteligente e astuto de mente analítica e aguçada. Ele não era alguém exatamente agradável, sendo bastante cruel às vezes, cheio de amargura e insegurança. Mas mesmo assim Snape amava e mostrou lealdade a esse amor dando sua vida por ele.

12.  Alex DeLarge – Laranja Mecânica

 

Alex é um dos personagens de filmes mais estranhos de todos os tempos, que se encaixa perfeitamente com a estranha natureza violenta, em Laranja Mecânica. Alex é um assassino e estuprador psicopata que possui uma espécie de prazer sexual de provocar estragos. Alex abraça sua natureza selvagem e trabalha em aceitar a si mesmo ao invés de tentar reformar sem sucesso que ele é. É quando ele é capturado por seus crimes e reformada através de terapia de aversão que ele finalmente se torna involuntariamente moral, e torna-se literalmente doente no desejo de fazer atos imorais. Que acaba em uma luta selvagem de seus impulsos e sua terapia de reforma que tornou uma das mais interessantes batalhas internas da história do cinema. Ao assistir Alex, o público sente sensações conflitantes de pena e felicidade. A felicidade de Alex por ter abatido sua terapia no final do filme mostra que ele tem abraçado esta maldade, como parte de si mesmo, o que faz dele um anti-herói ideal.

11. Richard B. Riddick – A Batalha de Riddick


Riddick tem sido descrito freqüentemente como um psicopata. Ele nunca demonstrou qualquer remorso pelos assassinatos que cometeu nem mostrou muita empatia por aqueles que o rodeiam. No entanto, Riddick pode mais precisamente ser chamado de animal, como seus crimes são originados de sua vontade implacável de sobrevivência e não pelo prazer de matar. Ele mesmo às vezes se refere a si como um animal. Devido a sentir a fúria de sua espécie quando a lembra. Apesar desta fria personalidade, Riddick é mais uma espécie de sobrevivente. Ele vai fazer o que ele precisa para sobreviver e vai matar qualquer um que tente acabar com ele ou sua liberdade. Mas ele trás muita tristeza em sua personalidade interior junto com uma baixa opinião de si mesmo, apesar de valorizar a sua existência continuada, demonstrado nos sacrifícios realizados por Fry e Kyra. Fazendo-o entrar em conflito com o seu destino de vingar sua raça.

10. Lisbeth Salander – Millennium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres

 

Ela é uma ‘black hat’, ou ‘cracker’ – uma hacker de computador que transmite senhas de segurança de computadores e se infiltra em seu conteúdo. Sob o nome de “Wasp”, ela se torna uma figura proeminente na sociedade hacker internacional conhecida como “República Hacker”. Ela também utiliza essas habilidades digitais como meio de vida, trabalhando como melhor investigadora de uma empresa de segurança. Também tem uma perfeita memória fotográfica, outra vantagem para sua habilidade investigativa. O abuso sexual da heroína da trilogia Millennium fizeram-na mostrar que sua vingança seria arquitetada de moto a todos aqueles pagarem na mesma moeda. De alguma forma ela consegue parecer assustadora, simpática e sexy ao mesmo tempo.

9. Patrick Bateman – Psicopata Americano

 

Durante todo o filme, Bateman mata muitas pessoas, possivelmente porque ele se sente inseguro sobre o seu estilo de vida, ou porque ele só gosta do que faz. Mesmo que ele seja um serial killer e completamente insano, o público ainda pode se relacionar de alguma forma com o ódio pelas pessoas superficiais com quem ele se relaciona. Bateman passou toda sua vida cercado pelos ricos e mimados da sociedade, e seu ódio por isso, combinado com a sua própria auto-aversão, é o que o faz passar dos limites.

8. Beatrix Kiddo – Kill Bill

 

Beatrix Kiddo, também conhecida por Mamba Negra, A Noiva ou Mamãe integrava o grupo de assassinos “Deadly Viper Assassination Squad”, liderados por Bill, que anteriormente era seu amante. Durante uma missão, descobriu que estava grávida, e abandonou o grupo para viver uma vida normal. Bill a encontrou às vésperas de seu casamento ordenando o assassinato de todos presentes na cerimônia. Beatrix, que estava nos últimos meses de sua gestação, foi baleada na cabeça, mas encontrada com vida pelas autoridades. Após ficar em coma por quatro anos, acordou em busca de vingança. Tendo como seu objetivo derrotar todos os membros de seu antigo grupo e matar Bill. Ela é aparentemente parecida com uma mocinha nos filmes, mas suas ações são definitivamente ruins de natureza. Suas motivações são vingança, tortura e ódio cego sobre o que foi feito com ela no passado.

7. Marv – Sin City 

 


Prosperando sobre a violência e visitando prostitutas em cada oportunidade possível, Marv é desmedido e tem uma reputação infame em Basin city. Ele sofre de uma condição mental sem nome que o faz julgar sua própria consciência, tendo em seus efeitos a perca de memória a curto prazo e alucinações e o podem torna-lo em um psicopata assassino. Vivendo a tomar medicação antipsicóticas dadas por sua namorada. Marv e considerado um gladiador de seu tempo, mas suas características físicas escondem um coração de ouro. Marv teve em seu passado o assassinato de sua mulher em que considera seu único e grande amor, fazendo com que jurasse fazer vingança.

6. Tyler Durden – Clube da Luta

 

 

Tyler Durden é o moderno anti-herói! Anti-capitalista, anti-cartão de crédito, ele é contra o tudo aquilo que pode torna-lo um zumbi e odeia seu irmão mais velho. Este filme investiga uma sociedade moderna, sempre quebrada, sempre precisando de uma correção. Ele é o homem forte e independente “vivo” que a maioria dos homens querem ser, lutando contra injustiças óbvias nos sentimos impotentes contra, mas sem uma boa razão moral, mas porque ele pode. Ele faz o que faz porque quer, e se alguns de nós quiserem se juntar a um clube de luta e vê-lo como herói, esqueça.

5. Han Solo – Star Wars

 

Han Solo era uma brilhante frustração para o jovem herói Luke Skywalker. Ele representava o contrário de Luke, de muitas maneiras. Ele era arrogante, cansado, não tinha crença em conceitos espirituais e era motivado principalmente pela aquisição de dinheiro. Quando Skywalker e Solo resgatam a Princesa Léia, Solo e Léia passam muito tempo no primeiro filme brigar verbalmente um com o outro. Pois Leia, despreza o objetivo exagerado de Han de trabalhar só pelo lucro. Porém o mercenário tem seu lado bom, tendo realizado feitos como o de se opor a seu superior da Academia Imperial que exigia a morte de Chewbacca na juventude. Também se unindo aos rebeldes e ajudando Léia e Luke. Existe alguém mais anti-herói do que ele no universo Star Wars? Se ainda duvida, lembre-se que Han Solo atirou primeiro que Greedo.

4. Mad Max Rockatansky – Mad Max

 

Mad Max é um ótimo exemplo de um anti-herói. Ele abandona o trabalho como policial para travar uma guerra de vingança, enquanto o mundo desmorona ao seu redor. Está sempre pensando em si próprio, mas disposto a ajudar os outros, se eles tiverem algo para lhe oferecer. No terceiro filme, Max é apenas uma casca, que se recusa a ficar com pessoas que se importam com ele. Ele só ajuda os outros, quando ele tem algo a perder por não fazê-lo.

3. Eric Draven – O Corvo (The Crow)

 

Este é um clássico moderno. Algumas pessoas argumentam que o corvo é mais do que um herói, mas há toneladas de escuridão em torno deste personagem, mais do que uma pitada de loucura, e ele vai matar qualquer um que fique entre ele e sua vingança. É aí que está a diferença. Se ele acabou de matar os assassinos, ótimo, mas ele mata toda a gangue e faz da sua maneira até a cadeia, e mata qualquer um em conspiração. Claro, mas ainda é um anti-herói.

2. Snake Plissken –  Fulga de Nova York

 

Snake Plissken é o epítome de um bad boy “herói”. Ele é um condenado, ex-herói de guerra, ele só tem um olho, ele odeia o governo, quer beber e fumar, ele salva o presidente, mas não dá a minima para as autoridades. Ele é um cara ruim, mas principalmente porque sua necessidade de ser egoísta contradiz com o governo. Coloque-o em situações para fazer o bem, ele faz, mesmo coagido, e muitas vezes ele parece ter mais moral do que os “mocinhos” que ele está ajudando. Dito isto, ele não faz bem a ninguém, a menos que ele receba algo em troca. Snake tem escuridão ao redor dele, e seu atitude de “eu primeiro” e a capacidade de combater (ou adaptar-se) a pior escória fazem dele um ótimo anti-herói futurista.

1. Travis Bickle – Taxi Driver

 

Não importa existe lista sobre anti-heróis em filmes que não tenha o retrato do motorista de táxi vigilante de Robert De Niro. É impressionante considerando quantos bom anti-heróis existem nos filmes, e há uma ampla discordância entre as listas, mas Travis Bickle é um grande exemplo de como a escuridão pode infiltrar-se. Em primeiro lugar, nós o público tendemos a simpatizar com ele, mas seus motivos permanecem desconhecidos ao longo do filme o que torna difícil para ver motivos em suas ações, especialmente no que se torna claro que ele não é completamente tudo o que existe. De sua tentativa de assassinato a um candidato político em que ele se sai mal, até o momento em que ele salva uma menina prostituta, isso se torna tão confuso que não se sabe por que daquilo, fazendo com que até mesmo as ações heroicas pareçam assustadoras.