7 desenhos animados que nos influenciaram a ouvir música clássica

 

Desde mais jovem adorava ouvir música clássica, lembro-me de as vezes está sentado enfrente a TV ou rádio e ir longe ao som de Beethoven, Mozart e até mesmo Os Três Tenores (Pavarotti, Carreras e Domingo), mesmo sem saber quem eram ou porque eu gostava daquilo. Se você tem mais de 18 anos muito provavelmente você aprecia um pouco da música erudita, mas por que eu me sentia bem em ouvir aquilo? Por que sentia prazer ao som daquele poema sinfônico? Desenhos animados! O fato de gostar de desenhos jamais me levaria a crer que eu teria tal influência. Eu cresci vendo Pernalonga e Tom e Jerry eles me ajudaram a desenvolver meu gosto por música classica (Desculpe mão você foi uma grande influência musical, mas não tanto quanto o Pernalonga). Embora grande maioria dos desenhos animados da década de 1930 a 1950 fizessem exelente uso da música popular e composições originais, eles também usaram a música clássica para um melhor efeito, criando algumas das  melhores obras de animação de todos os tempos.

Desenhos como Looney Tunes, Disney, Pica-Pau e Tom e Jerry, ambos tinham eu seus criadores o afeto pela música onde procuraram transmitir em suas obras animadas um pouco de suas outras paixões, desenhos dos quais tinham suas trilhas construídas em música instrumental, aliás não faltaram homenagens aos grandes gênios do gênero. Talvez a nova geração não tenha a mesma sorte de ter acesso a esse conhecimento cultural, afinal sobre as animações atuais, são poucos aqueles que nós passam tal mensagem, felizmente algumas dessas antigas animações ainda são transmitidas, mesmo com uma menor frequência, mas viraram clássicos sendo relembrados até hoje.

1. Pica-Pau

O biruta de topete vermelho já foi pianista alá Chopin e também responsável por um dos episódios no qual cantava O barbeiro de Sevilha” obra de Gioachino Rossini. Fiiigaaarooooo!!

2. Pernalonga

Maestro, pianista, violinista e sem falar em suas pontas como cantor de ópera enquanto sacaneava com a cara de alguém, sempre que Pernalonga sobe no palco rende varias gargalhadas.

Musica: Franz von Suppe –“Morning,Noon and Night in Vienna”

3. What’s Opera, Doc? (Vai de Ópera, Velhinho?)

What’s Opera, Doc? A animação de 1957 é uma serie de Merrie Melodies, dirigida por Chuck Jones para a Warner Bros. História de Michael Maltese caracteriza Hortelino trocando canções com Pernalonga enquanto o percegue paródiando as óperas de Richard Wagner, especialmente Der Ring des Nibelungen e Tannhäuser. Por vezes, é como uma versão condensada de Ring cycle de Wagner.

4. Os Três Porquinhos

A conhecida história dos Três porquinhos era muito popular naquela época para os cartunistas. Essa versão da Warner Bros tinha uma inteligente sincronização entre a música de Brahms (danças húngaras) e a ação da animação.

5. Mickey Maestro – O Concerto

Walt Disney era fã de música clássica dizem que a ouvia enquanto desenhava, talvez por isso suas animações estejam recheadas de trilhas marcantes que nos fazem lembra-las até hoje. Antes de “William Tell Overture” torna-se popularmente conhecida como tema do Cavaleiro Solitário Mickey tentava por sua banda para tocar a música de Gioachino Rossini, enquanto o Pato Donald atrapalhava tocando “Turkey in the Straw”.

6. Fantasia – Aprendiz de Feiticeiro

Apresenta Mickey Mouse no papel de um aprendiz afobado que quer aprender seu ofício antes da hora. Para isso, ele rouba o chapéu mágico de seu mestre e dá vida a várias vassouras para encher o caldeirão de água e como resultado de sua teimosia, cria algo que nem ele mesmo sabe controlar. No curta tem a música Largo al factotum melodia de Gioachino Rossini entra em perfeita harmonia com a ação dos objetos controlados por Mickey.

7. Tom e Jerry

Tom e Jerry certamente foi uns dos meu grandes influenciadores, as brigas de gato e rato eram sempre acompanhadas por belas melodias que incluíam obras de Franz Liszt a Johann Strauss II.

The Cat Concerto ganhou o Oscar de Melhor Curta de Animação em 1946. Warner Bros lançou um desenho quase idêntico no mesmo ano, Concerto Sem Dó (Rhapsody Rabbit), estrelado por Pernalonga que tinha muitas das mesmas piadas. Ambos MGM e Warner Bros acusou um ao outro de plágio, mas nada aconteceu. Mas existe um lance sobre quem seria o melhor desenho animado, The Cat Concerto ou Rhapsody Rabbit. Na animação foi ultilizada Rapsódia Húngara No. 2 que é a segunda e mais  famosa obra de um conjunto de 19 rapsódias compostas por Franz Liszt.
Tom é o maestro de uma orquestra de gatos. Naturalmente, Jerry quer o ato, e claro, Tom não admite a presença do rato. Die Fledermaus Overture música de Johann Strauss II complementa a competição dos dois.

Se você acompanha ou acompanhou esses desenhos sinta-se lisonjeado por ter crescido ouvindo os grandes nomes da música, certamente não fazia ideia do tanto de cultura que esses desenhos passavam para nós naquela época.

Bônus: Pernalonga e a dança dos caipiras LOL

Ok, isso não tem nada haver com música clássica, mas é engraçado e esse post ficou muito sério😛