O Livro e a América – Castro Alves

Talhado para as grandezas, Pra crescer, criar, subir, O Novo Mundo nos músculos Sente a seiva do porvir. — Estatuário de colossos — Cansado doutros esboços Disse um dia Jeová: “Vai, Colombo, abre a cortina “Da minha eterna oficina… “Tira a América de lá”. Molhado inda do dilúvio, Qual Tritão descomunal, O continente desperta No […]

Leia mais O Livro e a América – Castro Alves

O Hóspede – Castro Alves

Choro por ver que os dias passam breves E te esqueces de mim quando tu fores Como as brisas que passam doudas, leves, E não tornam atrás a ver as flores. TEÓFILO BRAGA Onde vais estrangeiro! Por que deixas O solitário albergue do deserto? O que buscas além dos horizontes? Por que transpor o píncaro […]

Leia mais O Hóspede – Castro Alves

O NAVIO NEGREIRO – Castro Alves

5a. Senhor Deus dos desgraçados! Dizei-me vós, Senhor Deus! Se é loucura… se é verdade Tanto horror perante os céus… Ó mar! por que não apagas Co’a esponja de tuas vagas De teu manto este borrão?… Astros! noite! tempestades! Rolai das imensidades! Varrei os mares, tufão!… Quem são estes desgraçados, Que não encontram em vós, […]

Leia mais O NAVIO NEGREIRO – Castro Alves

Aves de Arribação – Castro Alves

Pensava em ti nas horas de tristeza, Quando estes versos pálidos compus Cercavam-me planícies sem beleza Pesava-me na fronte um céu sem luz. Ergue este ramo solto no caminho. Sei que em teu seio asilo encontrará. Só tu conheces o secreto espinho Que dentro d’alma me pungindo está. FAGUNDES VARELA Aves, é primavera! à rosa! […]

Leia mais Aves de Arribação – Castro Alves

As Trevas – Castro Alves

A meu amigo, o dr. Franco Meireles, inspirado tradutor das Melodias Hebraicas Traduzido de Lord Byron Tive um sonho que em tudo não foi sonho!… O sol brilhante se apagara: e os astros, Do eterno espaço na penumbra escura, Sem raios, e sem trilhos, vagueavam. A terra fria balouçava cega E tétrica no espaço ermo […]

Leia mais As Trevas – Castro Alves

OS PERFUMES – Castro Alves

A L. O sândalo é o perfume das mulheres de Istambul, e das huris do profeta; como as borboletas, que se alimentam do mel, a mulher do Oriente vive com as gotas dessa essência divina. José de Alencar O perfume é o invólucro invisível, Que encerra as formas da mulher bonita. Bem como a salamandra […]

Leia mais OS PERFUMES – Castro Alves