Cinema:Estreias da Semana.06.04.12

Espelho, Espelho Meu. Fantasia – (Mirror, Mirror) EUA, 2011. Tarsem Singh.Após a adaptação para a telona de Chapeuzinho Vermelho e a Bela Adormecida mais uma sátira adulta ao mais famoso conto de fadas dos últimos tempos. Desta vez a madrasta interpretada por Julia Roberts  vira o centro das atenções com o seu humor sarcástico. Branca de Neve por sua vez  é feia e os anões são interesseiros em vez dos ingênuos da década de 1930. NOTA: 2,5

Santos, 100 Anos de Futebol Arte.Brasil 2012. Ricardo Aidar. O documentário mostra toda a trajetória gloriosa de um dos maiores times de futebol do mundo. O longa é marcado por depoimentos de jogadores do passado e do presente como: Pelé, Diego, Serginho Chulapa, Pepe, Robinho, Elano, Ganso e Neymar, além de santistas ilustres como Mano Brown, João Dória Jr. e Marcelo Tas.(93 min)

Xingu. Drama – Brasil, 2011. Direção: Cao Hamburger(O Ano em que meus Pais saíram de Férias). Enquanto os americanos dizimaram todos os seus “Peles Vermelhas” no Brasil existem ainda muitas reservas demarcadas. “Xingu” conta a saga dos irmãos Villas Boas  idealizadores primeira terra indígena homologada pelo governo federal em 1961.  Com João Miguel, Felipe Camargo e Caio Blat.Em uma abordagem  inovadora sobre o cotidiano dos índios brasileiros de forma dinâmica e enxuta ,sem diálogos desnecessários.Além disso é muito bem filmado e interpretado pelos 3 protagonistas, mostrando um verdadeiro exemplo sobre-humano de proteção aos nossos irmãos pioneiros contra a Ditadura Vargas.NOTA:4,2

 12 Horas. Suspense – (Gone) EUA, 2011. Heitor Dhalia. Falando em Chapeuzinho Vermelho vemos novamente a sensual protagonista Amanda Seyfried  tentando fazer justiça com as próprias mãos. Na trama, um seqüestrador depois de uma tentativa frustrada, rapta sua irmã mas a policia não acredita na versão contada por ela.NOTA: 3,0

Jovens Adultos. Comédia – (Young Adult) EUA, 2011. Uma frustrada “escritora fantasma” de adolescentes (Charlize Theron), aquela que escreve sob um pseudônimo, decide voltar ás origens em sua cidade natal da época do colegial quando partiu para reencontrar seu grande amor. O mesmo diretor de “Amor Sem Escalas” Jason Reitman tenta convencer o público novamente de que é possível realizar grandes filmes através de tramas bobinhas.( 94 min).Nota :3,0

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s